Recomendações de Segurança para o relatório: A-507/CENIPA/2017 / PTYEC

Dados da Ocorrência
11/10/2011
13:20:00 UTC
GUARULHOS - SP
SUBSTANCIAL
PTYEC - HELICÓPTERO
ROBINSON HELICOPTER
R22
ACIDENTE

Histórico da Ocorrência

A AERONAVE DECOLOU DO AERÓDROMO DO CAMPO DE MARTE (SBMT), LOCALIZADO NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, SP, ÀS 13H15MIN (UTC), PARA REALIZAR UM VOO DE INSTRUÇÃO LOCAL, COM UM INSTRUTOR E PILOTO-ALUNO A BORDO. DURANTE TREINAMENTO DE DESLOCAMENTO LATERAL A 3 PÉS DE ALTURA, UTILIZANDO UM CAMPO DE FUTEBOL DO PARQUE ECOLÓGICO DO TIETÊ, OCORREU O TOQUE DO ESQUI DIREITO DA AERONAVE NO SOLO, OCASIONANDO A PERDA DE CONTROLE EM VOO. A AERONAVE GIROU PARA A DIREITA, TOMBOU PARA O MESMO LADO, E TEVE DANOS SUBSTANCIAIS. OS TRIPULANTES SAÍRAM ILESOS.

FATORES CONTRIBUINTES

FATOR NÍVEL CONTRIBUIÇÃO
ATITUDE CONTRIBUIU
DINÂMICA DE EQUIPE CONTRIBUIU
APLICAÇÃO DE COMANDOS CONTRIBUIU
COORDENAÇÃO DE CABINE CONTRIBUIU
INSTRUÇÃO CONTRIBUIU
PLANEJAMENTO GERENCIAL CONTRIBUIU
PLANEJAMENTO DE VOO CONTRIBUIU
POUCA EXPERIÊNCIA DO PILOTO CONTRIBUIU
SUPERVISÃO GERENCIAL CONTRIBUIU

RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA

NÚMERO RS DATA RECOMENDAÇÃO(ÕES) DESTINATÁRIO
A-507/CENIPA/2017 - 01 01/08/2017 Realizar gestões junto ao operador para que seja realizada uma instrução/atividade de CRM aos tripulantes da escola, enfatizando os aspectos desta ocorrência. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL
A-507/CENIPA/2017 - 02 01/08/2017 Realizar gestões junto ao operador para que este monitore o fiel cumprimento dos horários de briefing, de forma a não penalizar a qualidade da instrução, bem como a correta execução do planejamento de voo. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL
A-507/CENIPA/2017 - 03 01/08/2017 Realizar gestões junto ao operador para este cumpra rigorosamente a cronologia do programa de Instrução, de forma a não haver quebra na didática do processo de ensino-aprendizagem dos alunos. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL
A-507/CENIPA/2017 - 04 01/08/2017 Realizar gestões com o operador para que este passe a exercer uma supervisão gerencial mais atuante no processo de instrução, verificando, entre outras: a adequação de meios ao tipo de instrução, a fim de que haja margem disponível de limites operacionais para correção de manobras como a da ocorrência; o preenchimento correto de documentos necessários para o voo, tais como a notificação de voo, Diário de Bordo, etc., e a correta alocação de áreas de instrução/treinamento adequadas e devidamente autorizadas. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL