Recomendações de Segurança para o relatório: A-042/CENIPA/2018 / PRHBB

Dados da Ocorrência
08/03/2018
18:55:00 UTC
JOINVILLE - SC
DESTRUÍDA
PRHBB - HELICÓPTERO
BELL HELICOPTER
206B
ACIDENTE

Histórico da Ocorrência

A AERONAVE DECOLOU DO HELIPONTO BCW (SJYA), PENHA, SC, PARA UM VOO LOCAL, POR VOLTA DAS 18H25MIN (UTC), A FIM DE TRANSPORTAR PESSOAL, COM UM PILOTO E TRÊS PASSAGEIROS A BORDO. AO REALIZAR O SOBREVOO, NO SETOR SUL DE JOINVILLE, A AERONAVE COLIDIU CONTRA O SOLO. DE ACORDO COM OS DADOS COLHIDOS, O PILOTO POSSUÍA A LICENÇA DE PILOTO COMERCIAL - HELICÓPTERO (PCH) E ESTAVA COM A HABILITAÇÃO DE HELICÓPTERO MONOMOTOR A TURBINA (HMNT) VÁLIDA. ELE ESTAVA QUALIFICADO E POSSUÍA EXPERIÊNCIA PARA A REALIZAÇÃO DO VOO. SEU CERTIFICADO MÉDICO AERONÁUTICO (CMA) ESTAVA VÁLIDO. POR SUA VEZ, A AERONAVE ESTAVA COM O CERTIFICADO DE AERONAVEGABILIDADE (CA) VÁLIDO, OPERAVA DENTRO DOS LIMITES DE PESO E BALANCEAMENTO E AS ESCRITURAÇÕES DAS SUAS CADERNETAS DE CÉLULA E MOTOR ESTAVAM ATUALIZADAS. AS CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS ERAM PROPÍCIAS À REALIZAÇÃO DO VOO O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL (MPF) OFERECEU DENÚNCIA, SEGUNDO A QUAL A AERONAVE FOI ALVO DE INTERFERÊNCIA ILÍCITA. CONFORME PLANO IDEALIZADO POR UM PRESIDIÁRIO, APÓS A DECOLAGEM, UM DOS PASSAGEIROS (CÚMPLICE) DETERMINARIA AO PILOTO QUE SE DESLOCASSE ATÉ A PENITENCIÁRIA INDUSTRIAL DE JOINVILLE, SC. NO LOCAL, O HELICÓPTERO FICARIA PAIRANDO NO AR ENQUANTO OUTRO PASSAGEIRO (TAMBÉM CÚMPLICE) JOGARIA UMA CORDA COM CADEIRINHA DE ENGATE PARA QUE O PRESIDIÁRIO FOSSE IÇADO. EM SEGUIDA, SERIA ORDENADO AO PILOTO QUE POUSASSE PERTO DE UM POSTO DE COMBUSTÍVEIS NO BAIRRO ITINGA, EM JOINVILLE. SEGUNDO NARRADO EM SEDE POLICIAL, POR UM DOS ENVOLVIDOS, CASO O PILOTO NÃO QUISESSE COLABORAR COM O RESGATE, UM DOS CRIMINOSOS IRIA MATÁ-LO E, EM SEGUIDA, TAMBÉM SE MATARIA. FOI VISLUMBRADO AINDA A POSSIBILIDADE DE “DAR UMA FACADA NA PERNA DO PILOTO” PARA QUE ELE “COLABORASSE COM A MISSÃO”. AINDA SEGUNDO A DENÚNCIA, A AERONAVE COMEÇOU A SUBIR E DESCER RAPIDAMENTE POR TRÊS VEZES QUANDO, JÁ NA QUARTA VEZ, DESCEU E CAIU. ESTES MOVIMENTOS PUDERAM SER OBSERVADOS NO VÍDEO HOSPEDADO NOS ANEXOS ELETRÔNICOS DO INQUÉRITO, FAZENDO INFERIR QUE, APÓS A DETERMINAÇÃO DE EMPREGO DA AERONAVE PARA RESGATE DO PRESIDIÁRIO, HOUVE EMBATE FÍSICO ENTRE OS AGENTES DO CRIME E O PILOTO, LEVANDO À QUEDA DO HELICÓPTERO. OS EXAMES TOXICOLÓGICOS NÃO APONTARAM SUBSTÂNCIAS QUE PUDESSEM TER COMPROMETIDO A CAPACIDADE DO PILOTO EM OPERAR A AERONAVE. FORAM ENCONTRADAS DUAS ARMAS DE FOGO NOS DESTROÇOS, SENDO UM REVÓLVER CALIBRE .38 E UMA PISTOLA CALIBRE 9MM. AS ANÁLISES DO COMBUSTÍVEL RETIRADO DO TANQUE DE ARMAZENAMENTO LOCALIZADO NA SEDE DA EMPRESA, DA BOMBA DE ABASTECIMENTO E DO DRENO DO FILTRO ENCONTRAVAM-SE EM CONFORMIDADE COM AS ESPECIFICAÇÕES E SEM INDÍCIOS DE CONTAMINANTES. A AERONAVE FICOU DESTRUÍDA. UM PASSAGEIRO SOFREU LESÕES GRAVES. O PILOTO E DOIS PASSAGEIROS SOFRERAM LESÕES FATAIS.

FATORES CONTRIBUINTES

FATOR NÍVEL CONTRIBUIÇÃO

RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA

NÚMERO RS DATA RECOMENDAÇÃO(ÕES) DESTINATÁRIO